Desembargador suspende liminar que autorizava funcionamento de salão de beleza em Manaus

  • 23/05/2020


Liberação das atividades foi havia sido concedida a um estabelecimento na capital com base no decreto federal que inclui salões de beleza como atividade essencial. Desembargador suspende liminar que autorizava funcionamento de salão de beleza em Manaus Ronaldo Gomes/EPTV/arquivo O desembargador Yedo Simões de Oliveira, presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), suspendeu nesta sexta-feira (22), a liminar que autorizava o funcionamento de um salão de beleza, localizado na zona Centro-Sul de Manaus. A liberação das atividades foi havia sido concedida a um estabelecimento na capital com base no decreto federal que inclui salões de beleza como atividade essencial. O recurso à liminar, apresentado pela Procuradoria Geral do Município (PGM), destaca o número elevado de casos confirmados de Covid-19 na capital e aponta que a reabertura da atividade representa riscos à saúde pública, com desrespeito às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o distanciamento social, medida que tem como objetivo diminuir o ritmo de contágio e preservar o sistema de saúde. A PGM argumenta que a reabertura do salão de beleza, em meio à pandemia, pode ter efeito multiplicador, incentivando outros estabelecimentos não essenciais a ingressar com ações visando à retomada das suas atividades. São considerados essenciais os serviços relacionados pelo decreto estadual nº 42.278/2020. Ainda segundo o Prefeitura, antes de solicitar autorização judicial para reabrir, o salão havia sido interditado pela Vigilância Sanitária do município (Visa Manaus), com base no decreto municipal nº 4.795/2020, que orienta para a suspensão de qualquer atividade não considerada essencial no cenário de pandemia de Covid-19. Sobre a competência para definir estratégias de enfrentamento ao novo coronavírus, a Procuradoria municipal citou a decisão (ADPF nº 672/DF) que reconheceu a impossibilidade de afastamento unilateral, pelo presidente da República, das medidas de contenção adotadas por administrações estaduais e municipais, em especial as relativas a atividades econômicas. Portanto, diz o texto, é “lícito que Estados e municípios adotem critérios mais restritos que os do governo federal no enfrentamento da pandemia”. De acordo com a decisão do desembargador, “a suspensão deve ser determinada com a mais absoluta urgência, sob pena de irreparável prejuízo à ordem e saúde públicas em caso de cumprimento da decisão em comento”. "Intime-se o requerido para que se manifeste no prazo de 72 horas e, ato contínuo, dê-se vista ao Ministério Público para manifestação no mesmo prazo", diz. Initial plugin text

FONTE: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2020/05/23/desembargador-suspende-liminar-que-autorizava-funcionamento-de-salao-de-beleza-em-manaus.ghtml

Aplicativos


Locutor no Ar

MMWR Robot

Flash Back Total

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Top 5

top1
1. Simone e Simaria

Paga De Solteiro Feliz

top2
2. Wesley Safadão

Sonhei que estava me Casando

top3
3. Thiago Brava

Dona Maria

top4
4. Anitta

Vai Malandra

top5
5. Pabllo Vittar

Corpo Sensual

Anunciantes